Os Três Treinamentos

A prática budista básica envolve treinar-se em três áreas. Podemos treinar-nos nelas a fim de superar nossos próprios problemas e sofrimentos, por causa do interesse por nosso próprio bem estar. Ou podemos treinar-nos nelas com amor e compaixão a fim de sermos de mais benefício aos outros.

Que são os três treinamentos?

  • Disciplina ética - a habilidade de evitar comportamento destrutivo. A maneira de desenvolver isto é empenhando-nos em comportamento construtivo. Este primeiro treinamento é sobre autodisciplina, não estamos tentando disciplinar outras pessoas.
  • Concentração - a habilidade de focar nossa mente de modo que não experimentemos perambulação mental com todos os tipos de pensamentos estranhos. Nós fazemos nossa mente ficar afiada e focada, não opaca. Além da estabilidade mental, é também necessário desenvolver a estabilidade emocional, assim nossas mentes não são tomadas pela raiva, apego, ciúme e assim por diante.
  • Consciência discriminativa - a habilidade de discriminar ou diferenciar entre o que deve ser adotado e o que deve ser descartado. Como quando você vai comprar legumes, você discrimina: “Bem, este não parece bom, mas esse parece muito bom.” Aqui, nós discriminamos em termos de comportamento; o que é inapropriado e o que é apropriado, dependendo das circunstâncias que estamos e com quem estamos. Em um nível mais profundo, discriminamos entre o que é realmente realidade e o que é apenas nossas projeções de fantasia.

Ciência Budista, Filosofia Budista e Religião Budista

Se praticarmos estes três treinamentos para nosso próprio benefício ou para o benefício dos outros, nós podemos nos aproximar de qualquer um deles a partir de dois pontos de vista. Ambos derivam de uma divisão que Sua Santidade o Dalai Lama faz quando fala a uma audiência geral. Lá, ele descreve o budismo como tendo três partes: ciência budista, filosofia budista e religião budista.

Ciência budista refere-se principalmente à ciência da mente: como ela trabalha, nossas emoções e o que o Dalai Lama gosta de chamar de higiene mental e emocional. O budismo tem uma análise muito detalhada de todos os vários estados emocionais e como trabalham e andam juntos.

Incluídos na ciência budista estão também:

  • Ciência cognitiva - como nossa percepção funciona, a natureza da consciência e vários métodos de treinamento para ajudar-nos a desenvolver a concentração,
  • Cosmogonia - uma análise detalhada de como o universo começa, perdura e termina,
  • Matéria - uma análise detalhada de como a matéria, energia, partículas subatômicas funcionam, e assim por diante,
  • Medicina - como a energia dentro do corpo funciona.

Qualquer um pode estudar, aprender e se beneficiar dos tópicos acima e o Dalai Lama frequentemente tem discussões com os cientistas sobre estes temas.

A segunda divisão, filosofia budista, inclui coisas como:

  • Ética - a discussão dos valores humanos básicos, tais como a bondade e a generosidade que não estão necessariamente relacionados a nenhuma religião e da qual qualquer um pode se beneficiar,
  • Lógica e metafísica - uma apresentação detalhada de teoria de conjuntos, universais, detalhes, qualidades, características e assim por diante, como trabalham juntos e como nós os conhecemos,
  • Causa e efeito - uma análise detalhada da causalidade, o que é a realidade e como nossas projeções distorcem a realidade.

Novamente, a filosofia budista não fica limitada necessariamente aos budistas, mas é algo de que todos podem tirar beneficio.

A terceira divisão, religião budista, inclui a esfera real da prática budista e assim abrange coisas como o karma, renascimento, práticas rituais, mantras e assim por diante. É conseqüentemente específica para aqueles que estão seguindo o caminho budista.

Os três treinamentos podem ser apresentados simplesmente em termos da ciência e da filosofia budista, tornando-os aplicáveis e apropriados para qualquer um; ou podem ser apresentados como os dois e religião budista. Isto corresponde a uma divisão que eu chamo “Dharma-Light” e “O Dharma Autêntico.”

  • Dharma-Light - praticar métodos da ciência e filosofia budista apenas para melhorar esta vida.
  • O Dharma Autêntico - adotar os três treinamentos para os três objetivos budistas: um renascimento melhor, liberação do renascimento e iluminação.

Quando eu falo de Dharma-Light, geralmente é em termos dele ser uma etapa preliminar para o Dharma Autêntico, porque nós precisamos reconhecer a necessidade de melhorar nossas vidas comuns antes que possamos pensar em objetivos espirituais adicionais. A ciência e filosofia budista, entretanto, não são necessariamente uma preliminar à religião budista, assim nós podemos ver como usar os três treinamentos para melhorar nossas vidas, não importa se pensarmos sobre ela em termos de uma preliminar a um caminho budista, ou apenas em geral.

As Quatro Nobres Verdades

Da filosofia budista temos uma apresentação geral da maneira que o pensamento budista funciona, que é chamada geralmente As Quatro Nobres Verdades. Nós podemos também pensar nelas como quatro fatos da vida, como segue:

  • Observando o sofrimento e problemas que todos enfrentamos, o primeiro fato é que a vida é difícil.
  • O segundo fato é que nossos problemas na vida vêm de causas.
  • O terceiro fato é que nós podemos parar estes problemas; nós não precisamos nos fechar e aceitar nossos problemas, nós podemos resolvê-los.
  • O quarto fato é que nos livramos de nossos problemas eliminando a causa. Nós fazemos isso seguindo o caminho da compreensão que fornece conselhos sobre como agir, falar e assim por diante.

Assim, se a maneira como agimos ou falamos causa-nos problemas, precisamos mudar isto. Os três treinamentos são parte do que precisamos a fim de começar a nos livrar das causas de nossos problemas. Isto é uma forma muito útil de compreender os três treinamentos, porque indica o motivo de nos treinarmos neles. Assim, se estivermos tendo problemas na vida, nós olhamos:

  • Há um problema em minha disciplina ética, em como eu ajo e falo?
  • Há um problema em minha concentração: estou em todo lugar, sou uma confusão emocional?
  • Especialmente, há um problema em minha maneira de diferenciar entre a realidade e minhas projeções malucas?

Nós podemos utilizar isto apenas em nossa vida comum nesta existência, ou isto pode ser estendido aos problemas que possamos encontrar em vidas futuras. No nível de um iniciante, devemos considerar estes treinamentos somente em termos de nossa vida diária: Como podem nos ajudar? Que estamos fazendo que está causando nossos problemas? Que podemos fazer para aliviá-los?

A Causa do Sofrimento

Do ponto de vista da filosofia budista, a causa de nosso sofrimento é a inconsciência (N.T: falta de consciência). Nós estamos inconscientes ou confusos sobre duas coisas em especial.

A primeira coisa da qual não temos consciência é causa e efeito, especialmente em termos de nosso comportamento. Se tivermos emoções perturbadoras, tais como a raiva, ganância, apego, orgulho, ciúmes e assim por diante, nós agimos destrutivamente. Nós ficamos irritados e gritamos com as pessoas, ficamos com ciúmes e tentamos prejudicar as pessoas, nos apegamos às pessoas, e tudo isso nos causa problemas. Porque estas emoções fazem com que ajamos destrutivamente, ou ainda, autodestrutivamente, o resultado final é infelicidade.

É útil examinar a definição de uma emoção perturbadora. É um estado mental que, quando surge, faz com que percamos nossa paz mental e autocontrole. Quando gritamos com alguém por raiva, pode ou não entristecê-los. Talvez eles até mesmo nem ouçam o que dizemos; ou pode ser que apenas riam e pensem que somos estúpidos. Mas nós perdemos a paz mental e ficamos emocionalmente tristes, que dura frequentemente para além do grito. É uma experiência desagradável. E porque perdemos o autocontrole, nós dissemos coisas que mais tarde talvez lamentemos.

Nós agimos desta maneira porque:

  • Realmente não compreendemos causa e efeito. Nós frequentemente não compreendemos que se agirmos de determinadas maneiras, sob a influência de determinadas emoções perturbadoras, isso nos trará infelicidade.
  • Ou, nós estamos confusos sobre causa e efeito e compreendemos de maneira oposta. Pensamos frequentemente: “Bem, se eu gritar com esta pessoa, isso irá me fazer sentir melhor,” o que naturalmente, nunca acontece. Ou, quando nós estamos realmente apegados a alguém, talvez digamos: “Por que não me liga mais frequentemente ou me visita mais frequentemente?”, o que muitas vezes somente os afasta, não é? Nós não atingimos o que queremos, porque estamos confusos sobre como causa e efeito funcionam.

O segundo tipo de inconsciência que nós temos é com respeito à realidade. Porque estamos confusos sobre a realidade, temos atitudes perturbadoras. Um exemplo disso seria a auto-preocupação, onde nós estamos sempre pensando em mim, em eu mesmo e eu. Pode ser muito crítico, pois pode espiralar em uma síndrome onde sintamos que temos que ser perfeitos. Mesmo se nós agirmos construtivamente, tentando ser perfeitos, pondo tudo em ordem - torna-se completamente compulsivo. Embora possamos ter alguma felicidade temporária, muda rapidamente ao descontentamento, porque ainda pensamos: “Eu não sou bom o bastante,” e nos forçamos para sermos melhores.

Vamos pegar como exemplo alguém que é um maniaco por limpeza - um perfeccionista quando o assunto é limpar sua casa. Estes estão sob o equivoco de que podem controlar tudo e manter tudo limpo e em ordem. É impossível! Você limpa tudo, você faz tudo perfeito, você sente-se bem, e então as crianças vem para casa e bagunçam tudo; você fica descontente e tem que limpar tudo outra vez. Desta forma torna-se compulsivo. E cada vez que você sente um pouco de felicidade: “Ah, agora está tudo em ordem” - este sentimento parte muito rapidamente. Há sempre um canto que você esqueceu!

Repetindo estes estados de mente, sendo uma emoção perturbadora ou uma atitude perturbadora, e com a repetição deste tipo de comportamento compulsivo, você chega no que é chamado “sofrimento que tudo permeia.” É sobre como nós construímos hábitos que na verdade perpetuam nossos problemas.

Não nos afeta apenas mentalmente, mas fisicamente também. Por exemplo, se estivermos sempre irritados, começamos também a ter pressão alta, e então uma úlcera devido à preocupação, etc. Ou, se você for um maníaco por limpeza, é difícil relaxar. Você está sempre tenso porque tudo tem que ser perfeito, mas nada sempre é.

Como os Três Treinamentos Ajudam a Eliminar as Causas de Nossos Problemas

O que nós necessitamos realmente são os três treinamentos:

  • Nós necessitamos de consciência discriminativa para nos livrarmos de nossa confusão. Por exemplo, quando se é um maníaco por limpeza, tendo a fantasia que “tudo deve sempre estar perfeito e limpo e tenho que controlar tudo,” você substitui isso com “naturalmente minha casa ficará suja, ninguém pode controlar isto.” Você torna-se mais relaxado porque sim, você ainda limpa sua casa, mas você sabe que você não necessita obcecar-se com isso. Os textos tradicionais usam o exemplo de cortar uma árvore com um machado afiado.
  • A fim de cortar a árvore com este machado, nós precisamos bater consistentemente no mesmo ponto, que é a concentração. Se nossa mente estiver sempre distraída, você perde aquela consciência discriminativa. Assim, devemos ter concentração de modo que possamos sempre bater no mesmo lugar com o machado.
  • Usar este machado requer realmente força. Se você não tiver força, você não pode nem mesmo levantar o machado; e esta força vem da autodisciplina ética.

Desta forma, compreendemos como os três treinamentos podem nos ajudar a superar a fonte de nossos problemas. Podemos utilizar tudo que foi citado acima sem nenhuma referência à religião budista, assim sendo apropriado para qualquer um. Antes de continuarmos, vamos rapidamente digerir o que aprendemos:

  • Nós usamos a consciência discriminativa para ver a diferença entre fantasia e realidade; assim podemos ver a causa e o efeito dentro de nosso próprio comportamento. Quando não temos consciência discriminativa, nosso comportamento e atitudes criam infelicidade, ou um tipo de felicidade que nunca realmente nos satisfaz.
  • A fim de compreender corretamente o acima citado, nós necessitamos ter boa concentração, de modo que possamos permanecer focados.
  • Para desenvolver boa concentração, nós necessitamos disciplina para que quando nossa mente vaguear, possamos trazê-la de volta.
  • Queremos aplicar estes três treinamentos para ajudar-nos a tratar de nossos problemas e melhorar a qualidade de nossas vidas.

O insight chave para tirarmos de tudo isso é que a felicidade e o descontentamento que experimentamos em nossas vidas vem de nossa própria confusão. Em vez de responsabilizar outros pelos nossos problemas, ou a sociedade, economia e assim por diante, focamos em um nível mais profundo. Nós olhamos nosso estado de mente ao tratar destas situações. Talvez encontremos muitas situações difíceis, mas aqui estamos falando sobre nosso sentimento geral de infelicidade e o tipo de felicidade passageira. Nós devemos aspirar por mais do que isso, um tipo de felicidade que vem com paz mental e é muito mais durável e estável.

Quando nos deparamos com dificuldades, poderíamos ficar deprimidos e ficar absolutamente miseráveis. Ou nós podemos enfrentá-las com mais paz mental, porque vemos a situação mais claramente, vemos o que está envolvido e que há maneiras de lidar com isso, ao invés de somente termos pena de nós mesmos.

Considere o exemplo de quando seu filho sai à noite e você está preocupado realmente: “Eles vão regressar com segurança para casa?” Novamente, a fonte de nossa ansiedade e infelicidade é esta atitude de que “de algum modo eu posso estar no controle da segurança de meu filho,” que é naturalmente uma fantasia. Quando eles voltam para casa com segurança você se sente feliz, você se sente aliviado; mas a próxima vez que saem, outra vez você se preocupa. De modo que esse tipo de sentimento de tranquilidade não dura, certo? E estamos sempre preocupados, assim isso se perpetua. Transformamos isso em um hábito e nos preocupamos sobre tudo e isso afeta nossa saúde. É um estado muito desagradável.

A verdadeira chave está em compreender que a causa de tudo isto é nossa própria confusão. Nós pensamos que determinadas formas de agir trarão felicidade, ou que uma atitude de que somos capazesde controlar tudo está correta, mas não é. Então cortamos completamente este modo de pensar: “isto é absurdo!”, e ficamos focados nisso.

Conclusão

Quando refletimos sobre os quatro fatos da vida, somos encorajados a ver que nossos problemas e emoções negativas não são estáticos, mas podem ser melhorados, e até mais que isso, eles podem ser removidos completamente. Uma vez que tratamos das causas do sofrimento, o sofrimento párade existir, mas estas causas não desaparecem por si sós.

Uma maneira incrível de vivermos nossas vidas está no contexto dos três treinamentos em ética, concentração e consciência discriminativa. Eles trabalham juntos simultaneamente para trazer-nos mais perto dessa coisa que estamos procurando sempre: felicidade.