O Que É a Compaixão?

A compaixão é o estado mental que traz benefícios incomensuráveis para nós e para os outros. Baseada na profunda apreciação da interdependência de toda a vida neste planeta, em uma análise da realidade, a compaixão faz com que cresça dentro de nós um senso de conexão e um cuidado sincero tanto para com amigos quanto para com estranhos e inimigos. Podemos treinar a compaixão usando a meditação, até que ela englobe todos os seres vivos na Terra.

Compaixão é uma emoção complexa. No budismo, a definição é “o desejo que os outros sejam livres do sofrimento e das causas do sofrimento”, mas é muito mais que apenas isso. A compaixão, como a empatia, contêm uma habilidade de compreender e compartilhar os sentimentos de outro ser. Quando encontramos alguém que está sofrendo ou que teve algum infortúnio, nos lembramos de algo semelhante ocorreu conosco. Se nunca fizemos a experiência de nada parecido, tentamos nos colocar no lugar da pessoa e imaginamos como pode ser isso. Quando conseguirmos sentir em nós um forte desejo de nos libertar desta situação terrível, podemos transferi-lo para a outra pessoa, com a mesma intensidade e com o mesmo forte desejo de que ela se liberte disso.

O amor e a compaixão são necessidades, não um luxo. Sem eles, a humanidade não pode sobreviver. – O 14º Dalai Lama

A compaixão abre os nossos corações e mentes para os outros, ajudando-nos a quebrar as limitações solitárias e autoimpostas de pensarmos apenas em nós mesmos. Não estamos sozinhos enfrentando problemas em nossas vidas. Graças ao sentimento de conexão e cuidado com os outros, superamos os sentimentos de isolamento e alienação. Ser compassivos nos faz sentir mais felizes e seguros. Levar a dor e os sofrimento dos outros a sério e querer ajudá-los nos dá força e confiança em nós mesmos. A compaixão é uma verdadeira fonte de bem estar.

No entanto, a compaixão não permanece passiva. Ela deveria nos motivar a assumir a responsabilidade de fazer algo para aliviar o sofrimento alheio. Mesmo se a nossa habilidade de ajudar for limitada, fazemos o que estiver ao nosso alcance, simplesmente porque é insuportável não fazer nada quando outros estão infelizes e sentem dor. No entanto, sem saber o que realmente ajudará, a compaixão sozinha não é suficiente. Para fazer a coisa certa, precisamos combinar a nossa compaixão com conhecimento e sabedoria. Quando combinada com a maturidade emocional de não nos chatearmos, desencorajarmos ou sentirmos culpados quando formos incapazes de ajudar ou quando aquilo que sugerimos ou fazemos não funcionar, então a compaixão se tornará a motivação mais forte para trabalharmos com nossas falhas e imperfeições, e nos desenvolvermos ainda mais.