You are in the archive Please visit our new homepage

Os Arquivos de Berzin

Arquivos sobre Budismo do Dr. Alexander Berzin

Mudar esta página para Versão Texto. Saltar para navegação principal.

Home > Fundamentos do Budismo Tibetano > Nível 2: Material Lam-rim (estágio gradual) > Os Três Aspectos Principais do Caminho

Os Três Aspectos Principais do Caminho

(Lam-gtso rnam-gsum)
por Jey Tsongkhapa (rJe Tsong-kha-pa Blo-bzang grags-pa)
traduzido por Alexander Berzin, 1983
revisto 2003

Eu prostro-me aos meus enobrecedores e impecáveis lamas.

(1) Tentarei explicar, no melhor da minha capacidade,
O significado essencial de todas as pronunciações escriturais
   dos Triunfantes,
O caminho elogiado pela sagrada prole dos Triunfantes,
A entrada a ser atravessada pelos afortunados que desejam
   a liberação.

(2) Escuta com uma (mente) clara, Ó afortunado,
Cuja mente confia no caminho
   aprazível ao Triunfante
Sendo não-apegado aos prazeres
   da existência compulsiva
E desejando tornar significativa a tua vida
   de lazer e fatores enriquecedores.

(3) Visto que umgrande interesse pelos frutos prazerosos
   do oceano da existência compulsiva, sem renúncia pura
Não é o método para (alcançar) a paz (da liberação) -
De fato, desejando intensamente o que é encontrado em situações
   compulsivas,
   os seres limitados estão completamente confinados -
Primeiro, dedica-te seriamente à renúncia.

(4) Habituando tua mente à idéia de que não há tempo para
   desperdiçar
Quando uma vida de lazer e enriquecimentos é tão difícil
   de encontrar,
Abandone aobsessão com as aparências desta vida.
Pensando repetidamente sobre os problemas
   do renascimento recorrente
E que (as leis da) causa e efeito comportamental
   nunca são uma fraude,
Deixe de lado a obsessão com as aparências
   de (vidas) futuras.

(5) Quando, habituando-te deste modo,
   nunca geras, nem por um instante,
Uma mente que aspira aos esplendores do samsara recorrente,
E desenvolveres a atitude que dia e noite
   está sempre intensamente interessado na liberação,
Nessa altura geraste a renúncia.

(6) Mas visto que até mesmo esta renúncia,
   se não for mantida com a ativação
De uma pura meta bodhichitta, não se tornará uma causa
Para os esplendores e a bem-aventurança de um incomparável
   estado purificado (da iluminação),
Aqueles com senso geram a suprema meta da bodhichitta.

(7) Levados pelas correntes dos quatro rios violentos,
Amarrados pelos grilhões apertados do carma, difícil de desfazer,
Atirados para a jaula de ferro do agarramento a identidades
   verdadeiras,
Completamente encobertos na pesada escuridão
   do não-conhecimento,

(8) Constantemente atormentados pelos três tipos de sofrimento,
Vida após vida na ilimitada existência compulsiva -
Tendo pensado sobre a condição das tuas mães
Quem se encontraram em situações como estas,
Desenvolve o alvo supremo da bodhichitta.

(9) Mesmo se tiveres acumulado os hábitos da renúncia
   e o alvo da bodhichitta,
Contudo, se te faltar a consciência que discerne
   a verdadeira natureza da realidade,
Serás incapaz de cortar a raiz
   da tua existência compulsiva.
Por isso, esforça-te nos métodos
   de compreender o surgimento dependente. 

(10) Alguém que já viu que (as leis da) causa e efeito
   comportamentalde
   todos os fenômenos do samsara e nirvana nunca são fraude,
E quem tenha desmoronado os suportes sustentadores
   das suas (cognições)
Com respeito à existência inerente, quaisquer que tenham sido,
Entrou no caminho aprazível aos Budas.

(11) Aparências são surgir dependentes não-fraudulentos
E a vacuidade é separada de quaisquer asserções
   (de modos impossíveis de existir).
Enquanto tiveres estes dois
   aparecendo separadamente,
Ainda não alcançaste a intenção dos Hábeis.

(12) Mas quando, não alternadamente, mas tudo junto
   de uma vez,
A tua certeza [a partir] da mera visão
   do não-fraudulento surgimento dependente
Desmorona todas as tuas maneiras de considerar objetos
   (como inerentemente existentes),
Acabaste de discernir a visão correta.

(13) Além disso, quando souberes como a aparência
   elimina o extremo da existência
E a vacuidade elimina o extremo da não-existência,
E como a vacuidade surge como a causa e efeito,
Nunca serás roubado por visões que se aferram a extremos.

(14) Quando compreenderes os pontos destes três
Aspectos principais do caminho, tal como são,
Confie na solidão e gerando o poder da alegre perseverança,
Alcança depressa, meu filho, o teu objetivo imemorial.