5 Princípios Budistas Que nos Ajudam nos Negócios

Normalmente, budismo é associado à meditação. Porém, o budismo também nos mostra maneiras diferentes de pensar, que podem ser aplicadas a qualquer área. Vejamos alguns princípios budistas que podem nos ajudar a administrar qualquer projeto ou negócio.

Defina o Objetivo

O budismo enfatiza muito a necessidade de termos uma compreensão clara de nosso objetivo e da direção que queremos tomar antes de nos envolvermos com a prática budista. Nosso objetivo é nos livrarmos completamente das emoções perturbadoras e efetivar o pleno potencial de nossa mente e coração. Esse estado final é o que chamamos de “iluminação”.

Da mesma forma, quando começamos algum projeto ou negócio, é crucial definirmos nosso objetivo. Será que é o lucro? Será que é criar um determinado valor para os clientes ou resolver algum problema que eles têm? Quanto mais precisos formos em definir o objetivo, mais fácil será descobrir o caminho que nos levará até ele, e maior será nossa probabilidade de o alcançarmos.

Siga o Princípio da Causa e Efeito

Tendo nosso objetivo definido, precisamos descobrir quais são as causas que nos levarão até ele. No caso da iluminação, as causas são: parar de comportar-se destrutivamente e treinar as boas qualidades da mente, nos familiarizando com maneiras mais construtivas e realistas de perceber e lidar com o mundo.

No caso de um plano de negócios, precisamos usar de lógica para descobrir as causas que nos levarão ao nosso objetivo final. É como um processo de engenharia reversa. Traçamos, de trás para frente, a sequência lógica das ações que nos levam a um objetivo definido. Esse processo nos ajuda a definir os passos que precisamos dar para atingir nosso objetivo, e é uma boa base para as diretrizes do projeto.

Compaixão: Resolva o Problema do Consumidor

A compaixão é um dos mais importantes princípios budistas. Segundo os ensinamentos do Buda:

A compaixão é o desejo de que os outros se livrem de seu sofrimento.

O que isso tem a ver com negócios? Negócios solucionam problemas de clientes. Se a solução gerada por uma empresa for melhor que as demais soluções existentes, ela ganha a competição. Portanto, compreender o problema de um cliente em potencial e ter uma atitude compassiva é crucial. Precisamos identificar e ter sempre em mente o problema de nosso público e, com base nesse entendimento, tentar resolvê-lo da melhor maneira possível. A compaixão é a base para a política do cliente em primeiro lugar e para uma abordagem empresarial centrada no cliente.

Impermanência: Adapte-se a um Mundo em Constante Mudança

A análise budista nos proporciona outra valiosa visão da realidade: tudo muda, o tempo todo – nós, o meio ambiente e todas as pessoas à nossa volta. É muito fácil ficarmos presos a uma ideia que parece óbvia e sólida; mas, em uma realidade que está rapidamente mudando, isso pode nos deixar tacanhos, teimosos e inflexíveis.

Tomemos o exemplo da Netflix. Eles perceberam que a internet mudou os padrões de consumo de media. O pensamento antigo só dava uma solução para o consumo de conteúdo em vídeo: alugar um DVD. Mas a Netflix percebeu que havia uma maneira mais fácil de fazer isso – streaming de vídeo. Ninguém na indústria de consumo de mídia tinha percebido essa impermanência do mercado e dos hábitos dos consumidores. A Netflix percebeu primeiro e mudou toda a indústria, para sempre.

Ética: Respeite a Si Mesmo, à sua Equipe e o Consumidor

A ética budista está baseada no princípio da não violência. Percebemos que todos querem ser felizes e não querem sofrer. Se basearmos nossas ações nessa compreensão e tentarmos evitar prejudicar os outros, obteremos respeito e confiança.

Se respeitarmos nossos colegas, confiança e compreensão estarão presentes na equipe. Devemos procurar evitar falar mal dos outros na sua ausência e na sua presença, e sermos transparentes. Além disso, quanto mais respeitamos nossos consumidores, mais confiança e lealdade eles têm conosco. Grandes companhias, como a Zappos, basearam seu modelo de negócios no respeito às necessidades do consumidor, na equanimidade e na transparência entre seus funcionários.

Video: Matthieu Ricard — “A Revolução da Atenção”
Para ativar as legendas, favor clicar no ícone “Legendas” no canto inferior direito da tela do vídeo. Para mudar o idioma da legenda, favor clicar no ícone “Configurações” e depois “Legendas” e escolher o idioma de sua preferência.

Resumo

Podemos usar de 5 princípios budistas para fortalecer nossos negócios. São eles:

  • Defina o objetivo
  • Siga o princípio da causa e efeito
  • Desenvolva empatia e compaixão pelo consumidor
  • Tenha em mente a impermanência e seja flexível e inovador
  • Siga princípios éticos e respeitos os colegas e consumidores
Top