Tantra Budista

O Que é um Mantra?

Quando estamos estressados ou nossa mente está agitada com pensamentos negativos compulsivos, recitar mantras é um método útil - e livre de efeitos colaterais - para acalmar, silenciar o ruído interior, e gerar um estado mental e emocional mais positivo. Na prática budista, mantras específicos podem ser usados para trazer à mente mais compaixão, maior clareza ou uma compreensão mais profunda. Mantras são uma ferramenta poderosa que beneficia não só os praticantes espirituais, mas qualquer pessoa que esteja enfrentando os desafios da vida moderna.

Quando estamos estressados ou nossa mente está agitada com pensamentos negativos compulsivos, recitar mantras é um método útil - e livre de efeitos colaterais - para acalmar, silenciar o ruído interior, e gerar um estado mental e emocional mais positivo. Na prática budista, mantras específicos podem ser usados para trazer à mente mais compaixão, maior clareza ou uma compreensão mais profunda. Mantras são uma ferramenta poderosa que beneficia não só os praticantes espirituais, mas qualquer pessoa que esteja enfrentando os desafios da vida moderna.

Mantra. Para algumas pessoas, a palavra evoca imagens de sílabas que concedem desejos mágicos. Outras pensam em recitá-los como uma forma de oração ou devoção. Hoje em dia, os partidos políticos e marcas comerciais divulgam seus "mantras" para nós sob a forma de slogans. No entanto, na prática budista a finalidade não é essa . No budismo, mantras são utilizados como ferramentas sofisticadas para nos ajudar a gerar e manter a o foco sobre os estados benéficos da mente, como a compaixão pelos outros, ou clareza de pensamento (Veja O que é o Budismo?).

Mantras são frases e sílabas recitadas repetidas vezes como um auxílio à concentração em um estado benéfico da mente, de forma a proteger a mente de estados negativos.

A palavra mantra em sânscrito é composta pela raiz, man, que significa "mente" e pelo sufixo tra que significa "ferramenta" - descrevendo precisamente que, no budismo, que os mantras são um tipo de “ferramenta mental". Eles também são encontrados em todas as tradições espirituais da Índia, e em outras posteriores a elas. Os tibetanos, por exemplo, os entendiam como uma forma de "proteção da mente", uma ferramenta para proteger a mente de pensamentos e emoções perturbadoras.

Recitados em voz alta ou mentalmente, dentro ou fora da meditação, os mantras ajudam a acalmar nossa mente e a manter a atenção em um estado positivo (Veja O que é meditação?). Aqui, presença mental se refere a uma consciência que atua como uma “cola mental”, mantendo a nossa atenção no mantra e no estado mental associado, e nos impedindo de vaguear ou cair em torpor.

Sílaba Om / © tashimannox.com
Sílaba Om / © tashimannox.com

Podemos ir mais longe com a prática de mantra, usando-a para integrar nossa fala com o nosso corpo e mente. Por exemplo, se formos ajudar ou consolar alguém e desejarmos gerar um forte sentimento compaixão (o desejo de que eles se livrem de seus problemas), podemos recitar o mantra " Om Mani Padme Hum" (provavelmente o mais conhecido de todos os mantras budistas) suavemente junto com a nossa respiração ou em nossas mentes. Isso nos mantém focados no sentimento de compaixão e nos prepara para falar e agir com compaixão enquanto tentamos ajudar.

Alguns mantras contêm palavras em sânscrito misturadas com sílabas, enquanto outros contêm apenas sílabas. As palavras e sílabas representam diferentes aspectos dos ensinamentos budistas, como no mantra "Om Mani Padme Hum":

  • OM - essa sílaba é composta de três sons -a, u e m - e representam tanto o corpo, fala e mente conquistados com a iluminação quanto nosso corpo, fala e mente ordinários que precisam primeiro ser purificados de suas imperfeições.
  • Mani - essa palavra significa "jóia" e se refere ao primeiro dos dois fatores que levam a purificação acima, ou seja, ao método. Neste contexto, o método é a compaixão. É com base na compaixão que temos o ideal de bodhichitta para alcançarmos a iluminação, a fim de beneficiar todos os seres, tanto quanto possível.
  • Padme - isso significa "lotus", e representa o segundo fator, a sabedoria, a compreensão da vacuidade. Vacuidade (vazio) é a ausência total de maneiras impossíveis de existir. Normalmente, projetamos todos os tipos de preocupaçõestolas a respeito de como nós, os outros, e o mundo existe, mas estas projeções não correspondem à realidade. Acreditamos nessas projeções como sendo verdade, e por isso, tornamo-nos autocentrados e incapazes de desenvolver uma sincera e altruísta compaixão.
  • Hum - essa sílaba indica a indivisibilidade, aqui do método e sabedoria, que vai dar origem à iluminação para o benefício de todos.

Mantra Mani: Om Mani Padme Hum / © tashimannox.com
Mantra Mani: Om Mani Padme Hum / © tashimannox.com

No entanto, este mantra, como a maioria dos outros, tem diferentes níveis de significado. Podemos tornar a prática da compaixão ainda mais eficaz, direcionando a meditação para aqueles que sofrem de problemas específicos, enquanto se recitamos o mantra (Veja O que é compaixão?). Cada sílaba é correlacionada com um conjunto das principais emoções perturbadoras:

  • OM - orgulho e arrogância
  • Ma - a inveja e o ciúme
  • Ni - desejo, ganância e apego
  • Pad - ignorância ingênua e mente fechada teimosa
  • Me - mesquinhez e avareza
  • Hum - hostilidade e raiva.

Então, um passo adicional seria aperfeiçoarmos nosso espírito compassivo, permanecendo conscientes das seis perfeições (as seis atitudes de vasto alcance), também correlacionadas com as seis sílabas:

  • OM - generosidade
  • Ma - auto-disciplina ética
  • Ni - paciência
  • Pad - perseverança
  • Me - estabilidade mental (concentração)
  • Hum - consciência (sabedoria)

Recitar mantras em voz alta envolve a respiração, que, do ponto de vista budista, afeta as energias sutis do corpo. Mesmo a recitação mental de mantras pode afetar essas energias. Ao dar um ritmo regular à respiração e às energias sutis, a recitação de mantras pode ajudar a acalmar as emoções pensamentos perturbadores compulsivos, acalmando e tornando a mente mais nítida e clara.


Uma prática de mantra mais avançada, onde realmente regulamos a respiração e a energia sutil, nos ajuda a ter acesso ao nível mais sutil da mente. Quando esta mente sutil é focada no vazio, torna-se uma ferramenta incrivelmente poderosa - a mais poderosa - para nos livrar para sempre de todo o desconhecimento e confusão sobre a realidade, e para nos levar à iluminação. Meu principalprofessor, Tsenzhab Serkong Rinpoche, costumava dizer: "Existem três coisas que são o que há de mais poderoso neste mundo para trazer benefício aos seres: Medicina, tecnologia e mantras" . Por mantras, ele estava se referindo ao Sutra do Coração, que afirma que a perfeição da sabedoria (que abrange discriminar a consciência do vazio) é "o mantra protetor da mente que é insuperável ... o mantra que protege a mente acalmando completamente todo o sofrimento."

Há uma ampla variedade de aplicações para a prática de mantra no budismo. Como um começo, eles regulam a respiração e energias sutis, permitindo que nossa mente possa se acalmar. Eles então ajudam a nos manter focados em estados mentais ou emocionais positivos, como amor e compaixão. Além disso, eles ajudam a integrar e harmonizar o nosso corpo, fala e mente. Finalmente, através da prática mais profunda, os mantras nos ajudam a ter acesso ao nível mais sutil da mente com o foco no vazio, levando-nos para a realização da iluminação para o benefício de todos os seres.