Promovendo a Paz Através da Ética Universal

Outros idiomas

Hoje em dia há um aumento exponencial do número de jovens sofrendo com questões de saúde mental. Essa é uma grave crise que temos atualmente no mundo. Então surge a pergunta: Como resolver esse problema?

Vemos muitas guerras, conflitos e ataques terroristas acontecendo, supostamente em nome da religião. Para onde quer que Sua Santidade o Dalai Lama viaje, educadores, assistentes sociais e especialistas médicos perguntam: o que está acontecendo com o mundo? O mundo está passando por uma crise muito grande por conta do terrorismo, corrupção, descriminação de gênero, o abismo entre os ricos e os pobres e as questões de saúde mental dos jovens. Atualmente existe um aumento exponencial de jovens com questões de saúde mental – tanto que se tornou uma grave crise. Como resolver esses problemas?

No caso da saúde mental dos jovens, precisamos perguntar por que esse problema está aumentando tanto, uma vez que a educação moderna deveria resolver esses problemas. Qual exatamente é o problema? Como ele surge? Essa é uma pergunta que frequentemente fazem ao Dalai Lama. Sem hesitar, Sua Santidade diz que é por causa da lacuna que existe no sistema educacional moderno. Essa lacuna é por conta do nosso sistema educacional ser desenhado principalmente para desenvolver a inteligência. Se dissermos que dois mais dois é igual a quatro, passamos de ano. Com um lindo coração, altruísmo e carisma, se dissermos que dois mais dois é igual a mais ou menos quatro, repetimos. Então ninguém conta com o coração! Só se dá crédito ao cérebro.

Este é o responsável. Desenvolver apenas o cérebro não garante felicidade no mundo, e nem que haverá confiança, amor e compaixão entre os seres humanos. Em um nível prático, qual é a força motriz, o ímpeto que propele a humanidade a uma maior paz e harmonia? É o coração, é o coração humano.

Para garantirmos que o mundo pode prosperar sem comprometer o coração, também é necessária a sabedoria. Sabedoria e coração deveriam estar sempre juntos. Tendo isso em mente, uma âncora universal para a ética e a moralidade é um coração compassivo. Ninguém pode negar isso. Seja a pessoa religiosa ou não, estudada ou analfabeta, não importa. Todo mundo se alegra e adora que alguém lhe demonstre afeição e cuidado. Tenha em mente que a ética tem em sua raiz a compaixão – amor e compaixão para com os outros.

A outra pergunta diz respeito ao que podemos fazer. Como podemos promover isso? Primeiro, existem centros ao redor do mundo que podem ajudar. Por exemplo, no Centro para a Promoção da Ética e dos Valores, da Faculdade Ramanujan, aqui em Deli, um enorme projeto está sendo conduzido sob os auspícios de Sua Santidade o Dalai Lama para promover a ética universal.

Então precisamos pensar em como agir para inspirar os outros a serem mais compassivos? Não devemos fazer isso através de cultos, mas através de abertura, consideração e afeto. Pode ser que não consigamos mudar drasticamente o mundo, mas pelo menos podemos influenciar os que estão à nossa volta, que logicamente são capazes de agir de forma mais compassiva, mas que podem não ter ideia de como fazer isso. Como influenciar os outros? Se não temos a oportunidade de encontrar com pessoas que podem ter uma influência mundial, precisamos examinar como divulgar a importância da compaixão, independente de quem seja a outra pessoa, especialmente entre os jovens. Afinal, a esperança para o futuro está nas mãos dos jovens.

Top