11 Maneiras de Ajudar os Outros

Existem muitas maneiras de ajudar os outros, mas precisamos compreender a situação de cada um e discernir a melhor maneira de ajudar. Sermos compassivos e habilidosos não é suficiente, também precisamos ser generosos com o nosso tempo, ter autodisciplina, paciência, perseverança, concentração e sabedoria. Aqui estão 11 maneiras de ajudar as pessoas, mas que também nos ajudam a romper a barreira da solidão e dar significado à nossa vida:

1. Cuidar dos que Estão Sofrendo

Precisamos cuidar dos doentes, dos inválidos e daqueles que sentem dor. Se virmos alguém em dificuldade, temos que intervir e compartilhar de seu fardo.

2. Orientar os Que Estão Confusos em Relação a Como se Ajudar

Às pessoas que estão confusas em relação a como se ajudar, podemos oferecer um conselho, se nos pedirem, ou ao menos um ouvido que as ouça. Se o nosso cachorro ou gato estiver preso em um quarto, abrimos a porta para deixá-lo sair. Aplicamos essa orientação até mesmo quando uma mosca estiver voando perto da janela. A mosca não quer ficar em nosso quarto; ela quer sair. Então, abrimos a janela e a deixamos sair.

3. Retribuir a Bondade Dos que Nos Ajudaram

É importante apreciar o trabalho de todos os que fazem o mundo funcionar e tentar ajudar os que já fizeram tanto por nós, como os nossos pais. Mas temos que fazer isso com um sentimento sincero de gratidão, e não por culpa ou obrigação.

4. Reconfortar e Proteger os que Têm Medo

Precisamos tentar ao máximo confortar as pessoas e animais que estiverem assustados. Se alguém precisar ir a um lugar perigoso, onde possa se machucar, lhe oferecemos nossa companhia e proteção. Aos refugiados que escaparam de um passado violento, damos segurança e lhes ajudamos a se estabelecer. Os que ficaram traumatizados pela guerra ou por alguma forma de abuso precisam de compreensão especial e ajuda para curar suas feridas emocionais.

5. Consolar os Que Estão Tomados Pelo Luto

Quando as pessoas estão em luto por conta de um divórcio ou da perda de um ente querido, tentamos lhes consolar de uma forma compassiva. Nunca devemos tratá-los com pena, “Ah, coitadinho!” Ao invés disso, devemos nos colocar no lugar deles e compartilhar de sua dor.

6. Dar Ajuda Material Aos Pobres

É importante doar para instituições de caridade, mas também é importante doar para os mendigos que encontramos nas ruas. Temos que superar qualquer resistência que tenhamos, especialmente quando os mendigos parecerem sujos e repugnantes e não quisermos nem mesmo olhar para eles, muito menos sorrir ou tratá-los com respeito. Imaginem se aquela pessoa vivendo nas ruas fosse a nossa mãe ou o nosso filho: como poderíamos passar por ela com frieza, como se ela fosse uma pilha de lixo?

7. Introduzir o Dharma os que São Apegados a Nós

Também precisamos trabalhar para ajudar aqueles que querem estar conosco o tempo inteiro. Não queremos que fiquem dependentes. Se tiverem uma conexão kármica muito forte conosco, podemos tentar ajudá-los ensinando alguns métodos budistas básicos para alcançar a felicidade e ajudar os outros, mas apenas se demonstrarem interesse. Não queremos converter as pessoas, queremos apenas lhes proporcionar ajuda e conselhos. Assim, podemos fazer com que nosso relacionamento com elas seja mais significativo.

8. Ajudar os Outros de Acordo com Aquilo que Desejam

Devemos tentar ajudar os outros de acordo com suas preferências. Se alguém nos pedir para ensinar uma determinada coisa e formos capazes de ensinar, devemos tentar fazê-lo da melhor maneira possível, mesmo que ensinar não seja aquilo que mais gostamos de fazer. É como quando vamos a um restaurante com um amigo. Seria egoísmo e falta de consideração insistir para que todas as vezes pedíssemos nosso prato favorito. Às vezes também podemos comer o que o outro gosta. Em um relacionamento afetivo também precisamos achar um meio-termo entre aquilo que queremos e o que o outro quer. Não tem que ser sempre como a gente quer.

9. Encorajar os Que Levam uma Vida Integra

Podemos ajudar elogiando as pessoas que levam uma vida íntegra, que seguem um caminho positivo e estão fazendo um bom trabalho. Para pessoas com baixa autoestima, o elogio é especialmente importante. No caso de pessoas que têm boas qualidade mas são arrogantes, podemos elogiá-las para os outros, mas não na sua frente, para não deixá-las ainda mais arrogantes. Podemos encorajá-las a usar de suas habilidades para beneficiar os outros, mas também apontar seus erros, para ajudá-las a ter menos orgulho.

10. Ensinar Comportamentos Construtivos Para os Que Levam Vidas Destrutivas

Se encontrarmos pessoas que levam vidas muito destrutivas e negativas, não devemos nunca as repudiar, rejeitar ou condenar. Ao invés de julgá-las, devemos tentar mostrá-las maneiras de superar o comportamento negativo, se elas estiverem abertas a isso.

11. Quando Todo o Resto Falhar, Usar Nossas Habilidades

Alguns de nós têm habilidades extraordinárias. Pode ser que sejamos experts em artes marciais mas não façamos alarde em relação a isso. No entanto, se virmos alguém sendo atacado, pode ser que tenhamos que usar o nosso treinamento para subjugar o atacante, caso não haja outra maneira de pará-lo.

Video: Matthieu Ricard — “Os Benefícios do Altruísmo”
Para ativar as legendas, favor clicar no ícone “Legendas” no canto inferior direito da tela do vídeo. Para mudar o idioma da legenda, favor clicar no ícone “Configurações” e depois “Legendas” e escolher o idioma de sua preferência.

Há muitas maneiras de beneficiar os seres. Precisamos ter a capacidade de saber como ajudar cada pessoa, e também quando oferecer ajuda e quando deixar que a pessoa aprenda a se virar sozinha. Aqueles que estiverem claramente sofrendo, seja física ou mentalmente, precisam de nossos cuidados imediatos. Entretanto, a ajuda tem que ser dada na medida exata – nem demais e nem de menos. Precisamos ajudar os menos afortunados a se erguerem, mas, no longo prazo, a melhor ajuda é oferecer as condições e as ferramentas para que sejam capazes de seguir em frente e cuidar de si.

Top