Sentindo Compaixão

Quando estamos determinados a nos livrar de nossos problemas e suas causas, transferimos nossa preocupação para os outros e, com compaixão, desenvolvemos o desejo que eles também sejam livres.

Explicação

Uma vez que tenhamos desenvolvido uma postura realista e carinhosa, o próximo passo é desenvolvermos compaixão pelos outros. Compaixão não é olhar os outros de cima para baixo com pena, mas basear-se na empatia – na capacidade de sentir o que os outros sentem. Compaixão, portanto, é o desejo de que os outros se vejam livres do sofrimento e de suas causas, do mesmo modo como também gostaríamos de nos ver livres. Não se trata apenas de sonhar acordado, sabendo que na verdade o sofrimento não tem solução; pelo contrário, a compaixão é baseada na convicção de que é possível nos livrarmos dele. A compaixão também contém um elemento de disponibilidade e uma intenção de ajudar os outros da maneira que nos for possível. Não é uma atitude passiva. Nós ajudamos tanto fisicamente,  com coisas materiais, se necessário; quanto mentalmente, gerando o estado mental do qual os outros necessitam para superar seus problemas e o imaginando sendo enviado a eles.

Meditação

  • Acalme-se focando na respiração.
  • Imagine que perdeu sua casa e todas as suas posses num terremoto e terá que dormir a céu aberto, lutar para conseguir comida e água, e que não possui nenhum dinheiro para recomeçar sua vida. Você se sente totalmente desesperado e deprimido.
  • Imagine o quanto você gostaria de se ver livre dessa situação e se dar conta de que a causa de sua infelicidade é a sua depressão, então se sinta determinado a se ver livre dessa depressão e de encontrar meios para se restabelecer.
  • Então imagine sua mãe na mesma situação e transfira a determinação de você se livrar dessa situação para sua mãe, e desenvolva compaixão, a determinação de que ela se veja livre disso.
  • Deseje que ela não perca as esperanças e que tenha coragem e força para se restabelecer.
  • Então imagine a mesma coisa com as centenas de milhares de nepaleses que estão atualmente nessa situação e desenvolva compaixão por eles. 
  • Faça o mesmo procedimento com o desequilíbrio emocional. Lembre-se de quando você era desequilibrado emocionalmente e, percebendo que você podia conseguir equilíbrio emocional, desenvolveu uma mente clara e calma, gerando a determinação de se ver livre daquele desequilíbrio.
  • Depois transfira isso para sua mãe e, então, para todos os seres.

Resumo

Do mesmo modo como nós desejamos ser felizes e não infelizes, o mesmo vale para todas as outras pessoas. Todo o mundo deseja se ver livre de seu sofrimento e de seus problemas, tanto quanto nós. Para desenvolver compaixão pelos outros – o desejo de que eles se vejam livres de seu sofrimento – precisamos primeiro reconhecer e encarar os nossos próprios problemas e desenvolver um desejo forte de nos ver livres deles. Quanto mais forte for nossa determinação de eliminar nosso próprio sofrimento, mais capacitados estaremos para sentir empatia por terceiros e para desenvolver a determinação de auxiliá-los na superação de seu sofrimento também. Essa determinação direcionada a terceiros é o que chamamos de “compaixão”.

Top