Respeitando a Impermanência

Quando honramos o fato de que tudo muda o tempo todo, evitamos ficar presos em padrões obsoletos de relacionamentos.

Explicação

Impermanência significa mudança: as coisas afetadas por causas e condições nunca permanecem estáticas, elas mudam de momento a momento. Algumas coisas, depois de criadas, degeneram e desmoronam lentamente até atingir seu fim, como seu computador, seu carro ou seu corpo. Outras coisas mudam de momento a momento, mas, por se renovarem sempre, não se desgastam, como sua atividade mental básica, seja você um bebê, um adulto ativo ou um paciente geriátrico com Alzheimer. Algumas coisas têm altos e baixos, como a temperatura ou a qualidade de sua meditação; enquanto outras, como pessoas num avião, juntam-se e separam-se. Algumas coisas atravessam ciclos repetitivos como as estações ou o ciclo de dia e noite; enquanto outras surgem repetidamente, duram por um tempo e chegam ao fim, como os universos de acordo com a visão budista. Há muitos tipos distintos de impermanência. 

Infelizmente, por nossa mente não perceber os períodos de tempo todos de uma vez, em um único momento, ficamos confusos e, às vezes, achamos que as coisas permanecem estáticas e que nunca irão mudar, como nossos relacionamentos, nossa juventude, nosso humor e assim por diante. Quando pensamos assim, criamos infelicidade e problemas para nós. Por exemplo: estamos em uma relação afetiva com alguém; ela surgiu por certas causas e circunstâncias – ambos estávamos no mesmo local, ambos buscávamos um companheiro, ambos tínhamos certas coisas ocorrendo em nossas vidas. No entanto, com o passar do tempo, essas condições mudaram. Se nos prendermos ao tipo de relação que tínhamos no início e na fase inicial, seremos incapazes de ajustar o nosso relacionamento quando nosso companheiro trocar de emprego, ou mudar de cidade, ou tiver uma visita, ou fizer novas amizades, ou quando algo similar ocorrer em nossas vidas. Nós nos agarrarmos à forma que o nosso relacionamento era antes e, como isso agora não corresponde mais à realidade, sofremos e ficamos infelizes.

Para nossa meditação, vamos focar nas diversas coisas em nossa vida que estão sujeitas à impermanência e tentar focar com a compreensão de que mudaram e continuarão mudando com o passar do tempo e, eventualmente, chegarão ao fim.

Meditação

  • Acalme-se focando na respiração.
  • Pense em seu relacionamento com a sua mãe.
  • Perceba como ele começou – você era um bebê e isso afetou o relacionamento de vocês de algum modo.
  • Depois, você e sua mãe ficaram mais velhos e – à medida que você foi se tornando uma  criança, um adolescente e um adulto, ela foi envelhecendo – o relacionamento entre vocês foi mudando, não foi? 
  • E quando ela morrer, ou se tiver já morrido, embora a relação interativa tenha chegado ao fim, note como sua atitude e as lembranças que tem dela mudam e continuam a mudar.
  • Pense na sua relação com o seu pai da mesma maneira.
  • Pense na sua relação com um companheiro que você ama ou que tenha amado muito.
  • Pense na sua vida profissional.

Resumo

A impermanência é um fato da vida. Tudo muda o tempo todo e nada permanece igual para sempre, queiramos ou não. Quando aceitamos essa realidade, compreendemos que é em vão se agarrar a qualquer coisa como se fosse permanecer sempre igual. Quando conseguimos nos ajustar às mudanças que ocorrem inevitavelmente ao longo de nossas vidas, nos nossos relacionamentos, nos nossos corpos e assim por diante, evitamos um bocado de infelicidade e problemas que de outro modo teríamos.

Top