Dando um Sentido à Vida

Quando pensamos que nossa rotina não faz sentido, obtemos um direcionamento significativo ao trabalhar em nós mesmos para superar nossas imperfeições e realizar nossos potenciais.

Explicação

Muitos de nós sentimos que nossas vidas não estão indo a lugar algum. Podemos achar nossos empregos sem sentido, ou estar desempregados e não enxergar nenhuma perspectiva de melhora. E talvez ainda não tenhamos terminado nossos estudos, e estejamos questionando o valor e o significado deles. Além de temermos que as coisas fiquem piores, há ainda o perigo de cairmos em depressão. Além do mais, gostaríamos de fazer algo significativo, que produzisse uma mudança positiva no mundo, e de compartilhar isso com os outros. Muitos de nós até temos consciência de que ganhar muito dinheiro e possuir muitas coisas não satisfaz nossa necessidade de sentido.

O budismo toca nesse assunto através do tópico do direcionamento seguro, comumente traduzido como refúgio.  Quando nos damos conta de que nossa preciosa vida humana chegará definitivamente ao fim, com a morte, e que piores reencarnações podem estar por vir se não fizermos algo positivo agora com nossas vidas, direcionamos o olhar para como prevenir isso. Similarmente, mesmo que não aceitemos a noção de reencarnação, podemos apreciar a vida que temos agora e, cientes de que seria péssimo morrer arrependidos do quão sem sentido nossas vidas foram, tememos que as coisas piorem ainda mais nesta vida.

O direcionamento seguro que o budismo oferece é indicado pelas Três Jóias Preciosas. A principal é o Dharma – o verdadeiro cessar e o verdadeiro caminho mental – onde trabalhamos em nós mesmos e superamos nossas imperfeições e, desenvolvendo nossas qualidades positivas, realizamos todo o nosso potencial. Imperfeições incluem desequilíbrios emocionais, incapacidade de concentração, autocentramento, dificuldades efetivas de comunicação, etc. As qualidades positivas incluem os valores humanos básicos, tais como gentileza, compaixão, paciência, entendimento, perdão, honestidade, etc. Também incluem um senso ético, concentração e discernimento. Trabalhar para alcançar essas qualidades, como os budas fizeram plenamente e os grandes mestres parcialmente, com certeza daria sentido às nossas vidas.

Embora possamos gostar de compartilhar coisas com os outros, isso não significa que basta postar nossos êxitos em mídias sociais; mas, com cada vez mais autoconfiança, podemos compartilhar nosso desenvolvimento, ajudando os outros, seja com coisas pequenas ou grandes. . Portanto, o direcionamento seguro que queremos dar às nossas vidas está baseado no temor que temos das coisas piorarem, na confiança no fato de que trabalhar em nós mesmos é uma direção segura para evitar que nossas vidas piorem e no cuidado e compaixão pelos outros, que gostaríamos de auxiliar compartilhando nossas conquistas.

Meditação

  • Tranquilize-se focando na sua respiração.
  • Analise sua vida e avalie se ela é ou não significativa.
  • Pense em como você gosta de compartilhar coisas de sua vida com os outros.
  • Pense em como trabalhar para superar suas imperfeições e tomar consciência de seus potenciais daria sentido à sua vida e o habilitaria a compartilhar algo significativo com os outros, não apenas trivialidades; e como seria maravilhoso se aquilo que você compartilhasse – não apenas on-line, mas também em interações pessoais – os auxiliasse de algum modo.
  • Imagine-se caindo de um precipício em uma depressão profunda por falta de um direcionamento significativo em sua vida.
  • Pense em como trabalhar em si mesmo o salvaria dessa depressão e como seria uma excelente dádiva a ser compartilhada com os outros.
  • Decida dar esse direcionamento à sua vida.
  • Imagine a mesma situação, mas agora você está na beira do precipício, quase caindo.
  • Imagine de novo a mesma situação, agora você está um tanto distante do precipício, mas se acercando constantemente dele.

Resumo

Quando achamos que nossa vida caiu na rotina, está entediante e nos parece sem sentido, precisamos ser proativos. Temos que dar um direcionamento positivo às nossas vidas, um que tenha significado não apenas para nós, como para os outros também.  Esse direcionamento é trabalharmos em nós mesmos para superar nossas imperfeições e tomarmos consciência de nosso potencial positivo. Se nossa meta é percorrer esse caminho em sua totalidade, como os budas fizeram, ou parcialmente, como outros seres altamente realizados fizeram, essa não é a questão; o fato é que empreender essa jornada irá melhorar muito a qualidade de nossas vidas.

Top